Wishlist
R$ 0,00
0 item(s)

Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Produto adicionado no carrinho x
  • Jac Leirner, Two Four Twelve Jac Leirner, Two Four Twelve
  • Jac Leirner, Two Four Twelve Jac Leirner, Two Four Twelve
  • Jac Leirner, Two Four Twelve Jac Leirner, Two Four Twelve
  • Jac Leirner, Two Four Twelve Jac Leirner, Two Four Twelve

Jac Leirner +

"Two Four Twelve" (cód. 6124)

Seja o primeiro a avaliar este produto

  • Escultura
  • Data 2017
  • Técnica madeira, tinta laca
  • Dimensões ( A x L x P) 12 x 22 x 24 cm e ( A x L x P) 4 x 24 x 24 cm
  • Edição 12 + 3PA

DISPONIBILIDADE IMEDIATA

R$ 25.000,00
em até 10x de R$ 2.762,50*
ver parcelas
  • 1x de R$ 25.000,00
  • em até 2x de R$ 12.500,00
    sem juros no cartão de crédito
  • em até 3x de R$ 8.333,33
    sem juros no cartão de crédito
  • em até 4x de R$ 6.343,75*
  • em até 5x de R$ 5.150,00*
  • em até 6x de R$ 4.354,17*
  • em até 7x de R$ 3.785,71*
  • em até 8x de R$ 3.359,38*
  • em até 9x de R$ 3.027,78*
  • em até 10x de R$ 2.762,50*

"Two Four Twelve" é um arranjo de duas peças que, somadas, trazem quatro módulos de madeira pintados com doze cores. Como cada face (incluindo a seção lateral dos módulos) possui uma cor única e os módulos estão encaixados de forma perpendicular, dezenas das combinações cromáticas são possíveis dependendo da posição das peças e do observador. A obra desdobra a inquietação das vanguardas construtivas que buscaram encontrar movimento e renovação fenomenológica da obra por meio de ambivalências de percepção de campos de cor (no Brasil, o exemplo central desse desejo é o Objeto Ativo de Willys de Castro). Ao mesmo tempo, a objetualidade simples adotada pela obra ecoa a forma de objetos prosaicos como as divisórias de caixas organizadoras, gavetas e estojos de materiais. 

A edição vem acompanhada de certificado de autenticidade numerado e assinado pelo artista.

Jac Leirner

São Paulo (SP), 1961 | Vive e trabalha em São Paulo (SP), Brasil.

Por um lado, a visualidade de Jac Leirner funda-se pela observação atenta da história da arte. São as obras de outros artistas que ensinam a ela possibilidades e desafios compositivos, formando um vasto repertório de operações pictóricas e espaciais. Por outro lado, seu sentido tátil muitas vezes procura materiais que não pertencem ao escopo dos materiais consagrados pela história da arte. São pedaços do mundo cotidiano que ela reúne (guarda, troca, pede, compra) e formam um arsenal de coisas com suas cores, formatos, marcas e materiais encontrados. Muitas das obras de Jac Leirner emergem, portanto, do encontro entre seu pensamento visual e seu desejo tátil.

Formou-se em Artes Plásticas em 1984, pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, onde lecionou entre 1987 e 1989. Em 1991, atuou como artista residente no Walker Art Center, em Minneapolis, nos Estados Unidos. No mesmo ano, na Inglaterra, foi professora convidada da Universidade de Oxford e artista residente no Museu de Arte Moderna da mesma cidade. Em 2012, foi artista residente na Yale School of Art, onde também lecionou. 

Participou das Bienais de São Paulo de 1983 e de 1989. Participou da Bienal de Veneza em 1990 e representou o Brasil, também em Veneza, na edição de 1997. Integrou a 9ª Documenta de Kassel, em 1992. Seu trabalho está presente em coleções como a Tate Modern Gallery, em Londres e MoMA - The Museum of Modern Art e Guggenheim, nos Estados Unidos, entre outras. Em 2011, realizou mostra individual retrospectiva na Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo e por esta exposição, ganhou o prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), como melhor exposição do ano.

Galerias representantes

Galeria Fortes D'Aloia & Gabriel, São Paulo

Destaques da carreira

Jac Leirner

  • "Uma canção para o Rio (parte 1)" | 2016 | Carpintaria (Fortes D'Aloia & Gabriel), Rio de Janeiro, RJ
  • Coletiva de Verão | 2014 | Galeria Fortes Vilaça | Foto: Eduardo Ortega Coletiva de Verão | 2014 | Galeria Fortes Vilaça | Foto: Eduardo Ortega
  • Obra “Skin (Rizla Liquorice)”, 2013 | exposição “Institucional Ghost” | 2017 | Irish Museum of Modern Art, Dublin, Irlanda | Foto: cortesia da artista e White Cube Gallery, Londres Obra “Skin (Rizla Liquorice)”, 2013 | exposição “Institucional Ghost” | 2017 | Irish Museum of Modern Art, Dublin, Irlanda | Foto: cortesia da artista e White Cube Gallery, Londres
Obra “Skin (Rizla Liquorice)”, 2013 | exposição “Institucional Ghost” | 2017 | Irish Museum of Modern Art, Dublin, Irlanda | Foto: cortesia da artista e White Cube Gallery, Londres
TOPO