Wishlist
R$ 0,00
0 item(s)

Você não tem itens no seu carrinho de compras.

julio-le-parc
Julio Le Parc
Comprando Por

Produto adicionado no carrinho x

Julio Le Parc

Julio Le Parc

Julio Le Parc

  • A exposição A exposição "Soleil Froid" | 2013 | Palais de Tokyo, em Paris, França
  • A exposição A exposição "Soleil Froid" | 2013 | Palais de Tokyo, em Paris, França
A exposição

Julio Le Parc

4 Iten(s)

   

  1. "Continuel lumière à 4 cylindres"

    Julio Le Parc

    Feixes de luz que se misturam criando diferentes imagens, luz que gera movimento e instiga nossos sentidos. O trabalho mostra quatro circunferências dispostas dentro de um quadrado, sendo que em cada um deles há um espelho, responsável pela multiplicação luminosa.

    Disponibilidade: Em estoque

    • Escultura
    • Data 2014
    • Técnica mista
    • Dimensões (A x L x P) 63 x 50 x 16 cm
    • Edição 100
    CONSULTE DISPONIBILIDADE
  2. "Formes en Contorsions"

    Julio Le Parc

    "As experiências cinéticas de Le Parc trouxeram uma nova sensibilidade no campo da arte pelo uso do movimento como elemento constitutivo da obra de arte. As vibrações da superfície da obra Formes en Contorsions entram em interação ótica, um jogo ilusório de linhas verticais negras e brancas em ziguezague, que criam uma espécie de sistema onde mantém em suspensão os encontros e desencontros visuais. As fitas geométricas que aparecem e desaparecem num labirinto visual alteram a nossa apreensão dos fenômenos perceptivos e parecem que podem ser infinitamente recriadas." ...

    Disponibilidade: Em estoque

    • Escultura
    • Data 1967-2018
    • Técnica motor elétrico, impressão, inox polido e espelho de plástico
    • Dimensões (A x L x P) 80 x 32 x 17 cm
    • Edição 80
    CONSULTE DISPONIBILIDADE
  3. "Mobile Losange Rouge"

    Julio Le Parc

    Julio Le Parc começou a pensar tridimensionalmente já em 1950, pesquisando os conceitos de movimento, instabilidade e probabilidade em suas obras.  "Mobile Losange Rouge" é composto por 61 peças acrílicas vermelhas transparentes que são suspensas por fios de nylon fixadas em uma placa de metal. Os fios são tencionados de forma que as peças vermelhas possam se movimentar de forma independente com as correntes de ar e criando efeitos óticos em contraste com o fundo branco.

    Disponibilidade: Em estoque

    • Escultura
    • Data 2017
    • Técnica metal, madeira, acrílico e linha
    • Dimensões (A x L x P) 80 x 80 x 12 cm
    • Edição 80
    CONSULTE DISPONIBILIDADE
  4. "Cercles par déplacement"

    Julio Le Parc

    Julio Le Parc, um dos precursores da arte Op ou arte cinética, desenvolveu a obra Cercles par deplacement, composta por uma estrutura de alumínio, impressão e espelhos. A obra, assim como a maior parte da produção do artista, conta com a participação do espectador para se resolver por inteiro, levando em conta que o trabalho reage ao deslocamento de quem o está vendo. Le Parc cria, através da linha e da cor, uma estrutura sólida que produz luz, sombra e movimento e faz com que a forma pareça se desmaterializar. Clique aqui para ver o vídeo da obra. Esta obra é assinada e vem acompanhada de certificado de autenticidade.

    Disponibilidade: Sem estoque

    • Escultura
    • Data 2015
    • Técnica caixa de acrílico, espelhos e impressão
    • Dimensões (A x L x P) 50 x 17.5 x 22.5 cm
    • Edição 100
    EDIÇÃO ESGOTADA

Julio Le Parc

4 Iten(s)

   

Argentina, 1928 | Vive e trabalha em Paris, França. 

Um dos fundadores do movimento de Arte Cinética e do G.R.A.V. (Groupe de Recherche d’Art Visuel), Julio Le Parc (1928) traz para sua obra elementos que extrapolam as buscas a respeito do movimento e refletem um interesse na percepção visual do espectador.

O artista trabalha com uma vasta gama de técnicas, que vão da pintura sobre tela, passando pela gravura e por móbiles, criando até grandes instalações com espelhos, motores e outros elementos. Le Parc representou a Argentina na Bienal de Veneza em 1966, ganhou o Grande Prêmio Internacional de Pintura como artista individual.

Le Parc vive e trabalha na França desde a década de 1960. Ganhou, em 2013, uma grande retrospectiva de seu trabalho no Palais de Tokyo, em Paris. Em comemoração aos seus 90 anos, foi homenageado em Buenos Aires com duas grandes exposições no CCK e no Museu de Belas Artes, entre 2018 e 2019. Nos últimos anos, contou com outras individuais pertinentes: "Luz do Mundo", Museu Oscar Niemeyer, Bienal de Curitiba, Paraná, Brazil (2015); "Form into Action", Perez Art Museum Miami, USA (2016); "La Longue Marche", Art Unlimited, Art Basel, Basel, Switzerland (2017); "Julio Le Parc: da forma à ação", Instituto Tomie Ohtake (ITO), São Paulo/SP, Brasil (2017); "Julio Le Parc 1959", The Metropolitan Museum of Art (The Met Beruer), New York/NY, USA (2018), 

Suas obras integram acervos como os do MoMA, Nova York; MAM, São Paulo; Tate, Londres; Museum Boijmans Van Beuningen, Roterdã, entre outros.

TOPO